PSICÓLOGOS NAS ESCOLAS, POR QUÊ? REFLEXÕES DE UMA PSICÓLOGA ONLINE

Nessa semana nos deparamos com um evento trágico onde uma escola foi palco de ações violentas. Infelizmente o massacre deixou várias vítimas fatais em Suzano SP.

Trago nessa leitura alguns pontos importantes sobre a contribuição do profissional de Psicologia no ambiente escolar. Qual o papel do psicólogo nas escolas, algumas situações que podemos encontrar nas escolas e como um psicólogo escolar ajuda a lidar com elas utilizando técnicas, ferramentas, teorias, conceitos e metodologias embasadas na ciência.

Nos dias atuais podemos perceber que os avanços tecnológicos e a necessidade de desenvolvimento e atualização estão cada vez mais acelerados e mudanças significativas tem acontecido no comportamento e modo de viver humano. Percebemos claramente que o corre-corre do dia a dia cada vez mais vai afastando o contato humanitário entre as pessoas. Bullyings, cyber bullyings e tratamentos desumanos são rotineiros.

Acompanhando os noticiários e as redes sociais temos visto com frequência ações violentas cada vez mais presentes no ambiente escolar.

A partir daí surge a indagação sobre a necessidade de se ter profissionais da Psicologia à disposição nas escolas. Profissionais esses que possuem conhecimentos teóricos e práticos sobre a ciência do comportamento humano para oferecer a oportunidade de criar um ambiente harmonioso, de respeito ao próximo, acentuando a necessidade de conviver com as diferenças entre as pessoas, assegurando um ambiente de aprendizagem saudável para todos.

Ainda é pequena a presença do psicólogo nas escolas, isso significa alguns desafios pela frente, como por exemplo, esclarecer para a sociedade a diferença do psicólogo clínico e do psicólogo escolar. Enquanto o primeiro só atende em clínica o segundo, psicólogo escolar, atua também coletivamente em nome do desenvolvimento e saúde mental da instituição escola.

Assim o psicólogo escolar, além de consultas focais em forma de orientação, aplicará avaliações diagnósticas para avaliar a saúde mental, grau de aprendizagem, nível de estresse nos estudantes, colaboradores, professores e mesmo familiares, se a comunidade for participativa.

Quer entender melhor o que faz e que ferramentas e técnicas científicas utiliza um Psicólogo Escolar? Vem comigo nessa leitura.

O PAPEL
DO PSICÓLOGO ESCOLAR

 

Na Psicologia Clínica, o psicólogo trabalha o contexto saúde e doença; já na Psicologia Escolar o profissional trabalha as questões da melhora nas relações estabelecidas entre corpo docente, funcionários, pais e alunos de forma que trabalhe o ajustamento e adaptações necessárias entre as partes.

Deve-se ressaltar a importância de cada papel quando se trata de um trabalho desenvolvido em equipe, onde deve estar presente a capacitação de cada um ao seu local estabelecido, sem a mistura de papéis e sem atribuição das responsabilidades fora da área de suas competências.

O psicólogo escolar se baseia em técnicas de análise
e intervenção do comportamento reconhecidas
pelas maiores instituições nacionais e internacionais
em Medicina, Psiquiatria, Psicanálise e Psicoterapia.

Os assuntos mais presentes no ambiente escolar que causam dificuldades de convívio estão vinculados a falta de estímulo do exercício de empatia (colocar-se no lugar do outro).

Com isso acaba-se gerando problemas de comportamentos, aumentando as ações violentas no cenário escolar, entre os principais motivos estão:

A indisciplina, agressões verbais e físicas, problemas familiares que refletem no ambiente em que o sujeito frequenta, bullying, falta de percepção quanto as demandas trazidas para a escola, falta de estímulo na questão ensino-aprendizagem.

O profissional que pode intervir, prevenir, ajustar as situações de crise instaladas, é o psicólogo. Enquanto engenheiro do comportamento é o profissional devidamente capacitado e instruído para lidar com as questões do comportamento humano.

Alguns comportamentos indicam que o aluno, colaborador, professor ou mesmo familiar do aluno, necessita de ajuda, entre eles podemos citar:

Isolamento social, pessoas com dificuldades de relacionar-se com o outro, mudança brusca de comportamento acentuando uma personalidade hostil, evasão por longos períodos, desinteresse pelas atividades sugeridas, persuasão incitando práticas violentas ou ilegais.

5 SITUAÇÕES
QUE UM PSICÓLOGO ESCOLAR PODE AJUDAR

 

Um dos pontos positivos de se ter um psicólogo na escola é que suas condutas e posturas estão baseadas em conhecimentos teórico-científicos, levando à reflexões, conscientizações sobre os papéis desenvolvidos nas escolas, também possui a condição de analisar o cenário em que se encontra sobre os aspectos institucionais e sociais de seus frequentadores.

Além da capacitação os profissionais da Psicologia trabalham sempre utilizando teorias científicas, técnicas, protocolos, testes e outros instrumentos reconhecidos e sendo fiscalizados por órgão competente.

O psicólogo está disposto a conhecer de forma mais aprofundada o ambiente em que vai atuar, levando-se em conta os vários tipos de grupos que nele se formam.

Com sua observação mais profunda é capaz de analisar a realidade existente na escola sendo possível traçar estratégias eficazes de ações tornando a escola mais acolhedora, além de lançar um novo olhar para que o vínculo pais e alunos sejam constantes, enfatizando a importância das relações familiares para que o indivíduo possa se desenvolver em sua totalidade.

1
ANÁLISE CONTÍNUA DE COMPORTAMENTOS
INDIVIDUAIS E GRUPAIS

 

O psicólogo escolar consegue identificar quando algo não vai bem, exterioriza os mecanismos necessários para mudanças, promove a reflexão sobre os objetivos a serem alcançados e quais as ferramentas necessárias para contribuir com as metas estabelecidas, auxílio da convivência em grupo.

Ferramentas de observação, coleta de dados, análises comportamentais, níveis de estresse, identificação de comportamentos abusivos, de violência doméstica, transtornos emocionais, anti-sociais, em alunos, colaboradores e professores, fazem parte do repertório do treinamento que um psicólogo teve durante cinco anos em uma faculdade.

Auxiliar os profissionais da educação a se aprofundar nas fases de desenvolvimento do ser humano no intuito de entender os caminhos que os indivíduos percorrem nas questões de aprendizagem.

É um trabalho de bastidores que envolve a percepção, conhecimento e observação do profissional de Psicologia.

2
IDENTIFICAR CRIANÇAS COM COMPORTAMENTOS
DE ABUSO E MAUS TRATOS

 

Uma criança ou adolescente vítima de abuso sexual ou de maus tratos, sinaliza de várias maneiras que está necessitando de ajuda, nem sempre é uma comunicação verbal.

Há mudanças acentuadas em seu comportamento que ocorrem de uma hora para outra, a recusa da criança ou adolescente em estar próximo de alguém em específico, ou também pode ocorrer comportamento inverso: preferir ficar muito tempo com alguém a sós.

Um outro fator que merece atenção é a criança ou adolescente, aparecer com presentes, dinheiro ou outros objetos de valor que sejam dados constantemente por alguém não comum ao ambiente familiar.

Esse comportamento pode estar relacionado à guardar algum segredo, uma forma de manter a vítima em silêncio através de chantagens ou ameaças físicas e verbais, é importante um diálogo preventivo a fim de reforçar que entre crianças e adultos não devem existir segredos entre pessoas de confiança.

Outro comportamento que costuma surgir em situações como essas é a regressão nas fases de desenvolvimento. Podemos citar exemplos como: voltar a chupar os dedos, necessidades fisiológicas nas roupas ou tornar-se excessivamente emotiva sem motivo aparente, são sinais de alerta que devem ser considerados.

Alguns comportamentos considerados estranhos podem surgir devido à transição infância e adolescência. E em casos de dúvidas sobre faculdade, profissão e orientação vocacional, o profissional da Psicologia também é o mais indicado.

3
IDENTIFICAÇÃO DE
DISTÚRBIOS DE APRENDIZAGEM E EMOCIONAIS EM ALUNOS

 

O psicólogo surgiu nas escolas com a função de identificar problemas de aprendizagem, possuindo os instrumentos científicos necessários, detectava-se as dificuldades do aprender, com o tempo esses instrumentos foram se adaptando aos novos comportamentos da sociedade moderna e trabalho do psicólogo escolar também ampliou-se.

Uma das coisas muito comuns na clínica psicológica é receber alunos encaminhados por escolas com o rótulo de aluno difícil e portador de TDAH (Transtorno de déficit de atenção/hiperatividade e que tal condição foi “diagnosticada” por um profissional da educação.

É importante salientar que o ”psicólogo” é quem dispõe de mecanismos capazes de detectar problemas cognitivos que venham dificultar o processo de aprendizagem.

Essa prática não se resume apenas na observação mas, em um conjunto de fatores, com condições de se chegar a uma conclusão técnica.

4
IDENTIFICAÇÃO DE
DISTÚRBIOS LABORAIS E EMOCIONAIS EM PROFESSORES

 

Para que um profissional de ensino seja contratado, ele passa por um processo de seleção que vai torná-lo apto ou inapto para desenvolver suas funções, tudo parece ir bem, até que o profissional começa externar alguns sintomas que podem ou não serem desencadeados por sua profissão. Entre os mais comuns estão:

Depressão: O portador desse transtorno perde consideravelmente o interesse por atividades que antes desempenhava normalmente, sente uma tristeza profunda, desânimo, sentimentos negativos e pessimistas, angústia, e sensação de vazio, nem sempre é percebido pelo portador que ele não está bem e que necessita de ajuda.

Síndrome do Pânico: É caracterizada por crises agudas de ansiedade, podendo durar até 30 minutos cada crise, tal fato ocorre pela sensação que o indivíduo tem de perigo eminente, esses portadores vivem a sensação dolorosa de que viverá uma acontecimento trágico ou catastrófico de forma repentina

Síndrome de Burnout: Conhecida como a doença da desistência, que se desencadeia pela dor da perda de energia no ambiente de trabalho por insatisfação com a profissão as causas podem ser consequência da indisciplina em sala de aula, desinteresse pelas atividades escolares e agressividade vinda por parte dos frequentadores presentes em muitas escolas.

Stress pós traumático: Ocorre após um evento traumático ou violento, desencadeado por situações onde o portador ou outras pessoas próximas foram expostos a perigo de vida. Os sintomas são semelhantes aos da ansiedade.

Transtorno de ansiedade generalizada: Portadores desse transtorno convivem intensamente com preocupações incontroláveis, vive em constante ansiedade não correspondente a realidade, o que torna o sofrimento frequente. Manifesta-se de forma física ou psicológica apresentando os sintomas: aceleração cardíaca, falta de ar, agitação, angústia, transpiração, entre outros. Os sintomas devem durar por mais de seis meses para ser caracterizado TAG (Transtorno de Ansiedade Generalizada)

Nem sempre as pessoas ao redor percebem as mudanças de comportamentos, por não estarem aptas no quesito comportamento humano não se atentam a dor e sofrimento do outro.

A presença do profissional de Psicologia colabora para que os transtornos como esses sejam devidamente identificados e posteriormente encaminhados ao tratamento adequado.

Importante citar que nem sempre o portador do transtorno consegue ter a consciência de que precisa se cuidar.

5
AJUDAR EM PROBLEMAS FAMILIARES
COMO PROCESSOS DE DIVÓRCIO

 

Lidar com as questões de separação ou de divórcio no contexto familiar e educacional, requer o acompanhamento das mudanças que ocorreram nas últimas décadas, como isso é encarado atualmente e o que muda na vida dos envolvidos, obviamente estendendo-se aos filhos.

A mudança na rotina da casa por consequência de uma separação, causa ansiedade, sofrimento e prejuízo no aprendizado de criança e adolescentes, porém é menos traumático do que a percepção de que algo está acontecendo no relacionamento dos pais, bem como presenciar os desentendimentos ocasionados pelo fim da relação conjugal.

Essa nova fase pode trazer sentimentos de culpa pela separação dos pais ou desencadear eventos depressivos ou estressantes, é importante que os pais, a escola e os filhos estejam preparados para esse momento, é um trabalho em conjunto.

Há possibilidade dessas mudanças estarem relacionadas as mudanças de comportamento, indisciplina, dificuldades nas relações interpessoais e no processo de aprendizagem.

O profissional de Psicologia pode atuar de algumas formas nas escolas:

O exercício da observação quanto ao significado da separação ou divórcio junto ao estudante e de como isso poderá prejudicar o desenvolvimento, conscientização de uma educação inclusiva nesse momento que está sendo vivido, auxiliar psicologicamente no ambiente da escola na adaptação e possíveis ajustes necessários para viver esse momento de forma que seja ressignificado de forma sensata.

Deve sempre ocorrer uma sincronia, a Psicologia oferece a estruturação de mecanismos necessários para que isso ocorra da melhor forma possível.

psicologo-nas-escolas-psicologia-escolar

ATENDIMENTO PSICOLÓGICO ONLINE
PARA TEMAS ESCOLARES

 

É comum o surgimento de dúvidas ou sentimentos de insegurança quando se trata de assuntos relacionados ao bem-estar e desenvolvimentos de crianças e adolescentes, hoje com acesso livre na internet as pessoas procuram apoio em redes sociais ou sites de busca.

Mas é importante lembrar que a internet é terra de ninguém e muitas questões tratadas são baseadas em senso comum, sem qualquer garantia de sucesso na busca pelo bem-estar físico e emocional.

Acompanhando a evolução surge hoje mais uma alternativa que torna acessível seu encontro com um psicólogo: a vídeo terapia é a oportunidade de encontrar um profissional preparado para lidar com as várias demandas presentes na vida humana.

Além de proporcionar mais conforto e praticidade, tornando sua relação com o psicólogo ainda mais proveitosa. Afinal você pode reunir toda a família na sala para fazer a vídeo terapia ou mesmo ser atendido individualmente de um cômodo privativo.

Procure um profissional em que você possa confiar, sua identidade e sigilo estão assegurados. Eu atendo online por videoconsulta e deixo aqui o meu convite para que possam saber mais sobre o meu trabalho clínico de atendimento online. Clique e conheça meu consultório online.

Sejam bem-vindos a meu vídeo consultório!

COMENTÁRIOS

comentários

Cleide Sant'Ana Ferreira

Sou Cleide Sant'Ana, trabalho com Empoderamento Feminino Estratégico, que oferece a oportunidade de alcançar o suporte emocional com foco na preservação de identidade, assegurando sua privacidade, despertando a coragem, autonomia e a resiliência e possibilitando o encontro da estrutura interna necessária e responsável pela tomada de decisões importantes para o seu desenvolvimento pessoal, profissional ou familiar (CRP 11/149721).

Comments are closed.